Monstro Caminhão Maniac › Jogos Grátis Online

Monstro Caminhão Maniac


Monstro Caminhão ManiacDescrição Do Jogo

Monstro Caminhão Maniac, Monstro Caminhão Maniac gratis, jogos de corrida e Monstro Caminhão Maniac, Monstro Caminhão Maniac Jogo

Está a fim de tomar uma cerveja? Voltaremos às h. Pode ser. Seremos eu, Giacomo, você, Gianluca e Paolo. Nós cinco vamos lotar o carro. Tome uma ducha rápida que não vou te esperar. Quer ir também? Tenho que estudar. Desde quando você estuda? Não sabe que é inútil? Obrigado, mas estou ocupado. OLÁ, VADIA. OLÁ, BICHONA. AINDA NÃO ACABEI MINHA PARTE. VADIA E AINDA POR CIMA LERDA! VOU TE LIGAR, NÃO SE EMOCIONE. Então vai me dizer que também é bom em latim? Você não entendeu, sou bom em todas as matérias. As pessoas entram em pânico quando descobrem. Eu não. Não acho ruim que faça todo o trabalho. Como eram suas notas? Em Turim, minha média era . Praticamente um gênio. Meus pais estariam orgulhosos se eu não os tivesse enterrado. Você ficou chateado, certo? Não, não fiquei. Ficou sim. Está bravo porque não te levaram ao pub. Não, nem ligo. E o Simone é um babaca. Bem, isso é verdade. Mas está bravo mesmo assim. Sim, um pouco. Não muito. Me tratam como se eu fosse imbecil. Não pode se importar. Antonio, que se m. É o melhor jogador de basquete, eles precisam de você. Sem você eles não valem nada, lembre-se disso. Eu sei. Ótimo. Agora vá dormir e não pense mais nisso. Roby, as medidas estão erradas. A peça tem que ser dois centímetros menor. Com licença um momento. Pode falar. Sim, sou eu. O quê? Quem é? Muito bonita. Bichona. Novidades? Nenhuma. Só Renato levantando a voz. Enquanto for ele, beleza. Não é isso, Sr. Petris, não vamos transformar isso em algo maior. Lorenzo não foi expulso da sala por estar usando esmalte. Não? Que estranho. Achei que fosse o que a professora acabou de dizer. Não disse que queria suspendê-lo por causa das unhas pintadas? Disse que o fato de o garoto estar de esmalte causou confusão na sala. Quando os colegas começaram a gargalhar… Então deveria suspender os outros, e não ele. E não o chame de “o garoto”, ele se chama Lorenzo. Os outros só se escandalizaram com a atitude do Lorenzo. Se eu entrar na sala vestida de havaiana, com uma coroa de flores e todos rirem, não é culpa da sala. Meu filho não estava com uma coroa de flores. Conhecendo a peça, não me espantaria. Podemos esperar qualquer coisa dele. Anna, por favor. Ouça-me, se não é capaz de controlar a classe, não é problema nosso. É um problema seu. Se Lorenzo for suspenso por estar usando esmalte, amanhã vocês estarão em todos os jornais. Você não tinha nenhum direito de expulsá-lo da sala. Deveria ensinar o garoto a se comportar de forma coerente. Já disse que se chama Lorenzo. O chame pelo nome, certo? Lorenzo. E sabe o que farei? Hoje falarei com ele e amanhã se quiser virá de batom. E se você se opor, veremos como isso termina. Acalme-se, Renato. Estou muito calmo. Imbecil. O que disse? Eu disse “imbecil”. Quando ouve essa palavra acha que se refere a você? Olha, Sr. Petris, vamos encerrar o assunto. Professora, o fato de Lorenzo estar de esmalte não pode ser considerado motivo para desordem. Amanhã seu filho Lorenzo poderá voltar para o colégio. Certo, mas se continuar com comportamento provocador, não me responsabilizarei pela reação da classe.


Comentários